MGMT assume um U2 rápido, chama o Chris(tine) para novo single e prepara a chegada, sexta, do quinto álbum

Ainda prisioneiros dos monumentais dois ou três hits que fizeram já tem mais de 15 anos, o duo americano segue tentando se manter relevante na música pop, a partir do indie.

Mais uma tentativa será o disco “Loss of Life”, quinto da dupla nova-iorquina Andrew VanWyngarden e Ben Goldwasser, os caras que um dia cometeram a canção “Kids” e “Time to Pretend” e até em Popload Festival vieram tocar. “Loss of Life” sai sexta-feira desta semana, daqui três dias.

Hoje, para chamar a atenção do novo álbum que vem aí, o MGMT lançou a grandiosa (não estamos dizendo que é necessariamente boa) “Dancing in Babylon”, música que traz como convidado, também para o vídeo oficial que saiu junto, o artista francês que dá nome ao Christine and the Queens, o não-binário Chris.

É a primeira vez que o MGMT abre, com cinco discos, o microfone para outro artista fazer um dueto com VanWyngarden, uma espécie de vocalista principal do duo americano, uma vez que Goldwasser também canta.

“Dancing in Babylon” é o “momento U2” que o MGMT parece querer trazer para a psicodelia da banda. O single anterior, “Nothing to Declare”, esse sim bem bom, tinha mais “cara de MGMT”. A nova música parece querer atingir públicos maiores, ainda que ficando esquisita “dentro da psicofilosofia sonora” do grupo. E o vídeo é grandioso também. Se não viu, veja.

Outras faixas do novo álbum, anteriores a estas citadas, também ganharam vídeos caprichados, que parecem demonstrar que a parte visual também vai iluminar os novos caminhos do MGMT. São elas “Mother Nature,” “Bubblegum Dog” and “Nothing to Declare.”

O vídeo da novinha “Dancing in Babylon”, meio feito na temática “multiverso”, traz atores de caras conhecidas aos apreciadores de filmes e seriados, como o ótimo John Cameron Mitchell (“Hedwig and the Angry Inch”) e o ator britânico Julian Morris (“Pretty Little Liars”). Veja abaixo.

MITSKI – horizontal miolo página
ROYAL BLOOD – inner fixed
INTERPOL – inner fixed mobile